Primeira roda de conversa teve participação de professores, alunos, ex-alunos e pesquisadores

Mariana Siqueira*

No último dia (31) aconteceu o primeiro encontro do Núcleo de Estudos Étnico-Raciais (NERA) do Centro Universitário FMU|FIAM-FAAM. Durante a reunião, que ocorreu de forma remota, a equipe que faz parte do projeto deu detalhes desde a origem do núcleo até os objetivos que possuem atualmente.

A mediação do encontro ficou por conta das professoras e também fundadoras do NERA, Maria Lucia da Silva e Carla Tôzo, que puderam passar aos participantes um pouco mais sobre suas experiências no desenvolvimento do projeto. Além delas, também estavam presentes alunos, pesquisadores e colaboradores que contribuem para que o núcleo exista, como é o caso de Iuri Lima, egresso do curso de Publicidade.

O NERA foi fundado no ano de 2016, e é baseado nas Leis 10.639/03 e 11.645/08. A primeira se refere à obrigatoriedade do ensino da História da África e da Cultura Afro-brasileira, e a segunda adicionou também o ensino da História e Cultura Indígena ao sistema de educação brasileiro, fazendo com que seja uma forma de trazer visibilidade e fortalecer a identidade desses povos.

A partir disso, o Conselho Nacional de Educação, solicitou às Instituições de Ensino Superior (IES) que estimulassem a criação de núcleos e disciplinas para que fossem discutidas as temáticas étnico-raciais, permitindo assim, que alunos pudessem pesquisar ainda mais sobre essas questões.

Segundo a professora Maria Lúcia, um dos principais objetivos do NERA, foi ampliar as atividades para toda a instituição, para que outros cursos, além daqueles de Comunicação, pudessem participar das atividades que incluem, desde palestras até discussões sobre as doenças provocadas pela não aceitação da própria identidade.

Outro projeto desenvolvido foi a criação da revista do NERA, chamada DUMELA. A ideia surgiu em 2017 sob a coordenação da professora Carla Tôzo com a principal finalidade de servir como um repositório de memórias a partir da publicação de discentes, docentes e pesquisadores. Além das educadoras Carla e Maria Lúcia, a revista também conta com a participação da professora e jornalista Edilaine Felix, que fica na função de editora executiva.

A primeira edição da DUMELA foi lançada em maio de 2018 e hoje já conta com um total de quatro edições impressas. Nelas pode-se encontrar resenhas, depoimentos de alunos, espaço para os docentes falarem sobre suas pesquisas, discussões acerca das questões étnico-raciais, entre outros.

Capa da quarta edição impressa da Revista DUMELA (Foto/Reprodução: DUMELA)

Os próximos encontros do Núcleo irão acontecer nos dias 14 e 28 de setembro e, em outubro, nos dias 19 e 26. Além disso, o NERA irá participar do evento AfroPresença, promovido pelo Ministério Público do Trabalho que acontecerá entre os dias 08 e 10 de setembro.

Para fazer sua inscrição e participar das atividades do NERA acesse: forms.office.com/r/7PxBuVUes6

Para participar do evento AfroPresença inscreva-se: www.afropresença.com.br

*Aluna do 4º semestre do curso de Jornalismo.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.