Afro Presença 2021 realiza debate sobre projetos de energia renováveis utilizados no país e sua importância para atender a necessidade do planeta na diversificação de matrizes energéticas

Alan Felipe Martins Durães*

O Movimento Afro Presença – realizado de forma remota em função da pandemia – reuniu vários palestrantes que puderam compartilhar com as pessoas suas experiências. Temas como mercado de trabalho, carreira e sociedade foram discutidos por especialistas a fim de ressaltar os desafios enfrentados pelos negros nesses meios. Além de outros temas pertinentes ligados ao desenvolvimento sustentável do país.

Visando ampliar o assunto energia renovável e debater sobre o tema, foram convidados, Luana Macedo, com experiência em meteorologia de mesoescala e modelagem atmosférica e mestra em sensoriamento remoto, além de Pedro Martins Junior, Chefe de Ações de Mercados Emergentes e Head de pesquisa na J.P. Morgan. A palestra foi mediada por Silvana Regina Inácio,      profissional com mais de 20 anos de carreira, formada em jornalismo e pós-graduada em Marketing e Relações Ético Raciais.

No debate foi discutido a energia limpa como um caminho para o futuro e quais desafios precisaram ser enfrentados para conseguir obter êxito daqui há alguns anos, além de destacar o que vem sendo feito no país através da diversificação de matrizes energéticas. Pedro Martins falou sobre a matriz energética brasileira, ou seja, a maneira como o Brasil produz energia. As fontes de energia são recursos naturais ou artificiais que usamos para realizar trabalho. Basicamente tudo que envolve crescimento, movimento e produção. Temos dois tipos, as renováveis e não renováveis.

Luana Macedo ressaltou que embora as energias renováveis se reponham naturalmente, deve-se tomar cuidado, pois isso não significa que elas são inesgotáveis. “Temos o nosso desmatamento aí para provar”, concluiu.

Em suma, a energia limpa está ganhando espaço em todo o mundo e elas podem alterar de modo significativo as questões ambientais, os empregos e até o modo como vivemos. Enxergar essa questão biofísica, planejamento territorial e a potencialidade que o território brasileiro tem para gerar energias renováveis e outras fontes de energia é extremante importante, principalmente no sentido de colocar em prática a ideia da sustentabilidade. É a busca por “um mundo possível” sem essa agressão a questão socioambiental em escala mundial.

*aluno do 6ºsemestre do curso de Jornalismo.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.