Por Samantha Rubio*

Em um dos painéis do último dia de Afro Presença 2021, Rachel Quintillano mediou uma exposição de ideias a respeito do lançamento do Observatório de Sustentabilidade Racial. Os convidados para a mesa foram Valdirene Silva de Assis (integrante da coordenação do Afro Presença), Michel França (pesquisador do INSPER) e Carlo Pereira (diretor do pacto Global no Brasil).

O Observatório de Sustentabilidade Racial é um projeto com apoio e coordenação do Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT/SP) em parceria com o Pacto Global, da ONU. Com o objetivo de lançar luz sobre os dados das desigualdades raciais no mundo do trabalho, o Observatório visa monitorar e enfrentar as desigualdades.

De acordo com Valdirene, “fazemos o enfrentamento ao racismo estrutural no trabalho”. Além disso, o Observatório introduz o conceito de Sustentabilidade Racial, que “vem de compreender que sustentabilidade demanda um equilíbrio dos valores que nela estão embutidos”, gerando uma “identidade do trabalho”.

Tendo-se em mente que o Brasil é relativamente heterogêneo, apresentando mais negros em populações dos estados das regiões Norte e Nordeste, quando comparado aos estados das regiões Sul e Sudeste, o Observatório de Sustentabilidade Racial surge com a proposta de tentar suprir lacunas que existem hoje no debate racial.

O trabalho desenvolvido está fundamentado na manutenção da dinâmica do negro no mercado de trabalho, uma vez que “a ideia do Observatório é trabalhar os dados de forma mais agregada, olhar para uma perspectiva mais microeconômica”, conforme explicou o pesquisador Michel França, trazendo maior transparência e construindo um debate baseado em fatos e evidências.

Contando com o apoio da ONU por meio do Pacto Global, Carlo Pereira ressalta que não podemos nos perder em arredondamentos: “somos um dos países mais desiguais do mundo. Temos que entender as realidades regionais e setoriais, ter clareza de como está o setor e fazer ações direcionadas a ele”.

Em um cenário global marcado pelos protestos após o assassinato de George Floyd por um policial branco nos Estados Unidos, o Observatório de Sustentabilidade Racial é lançado como um concentrador de dados, levando a comunicação e buscando a conscientização de vários interlocutores.

 Os lançamentos das pesquisas podem ser acompanhados pelo site observatorioracial.org que busca “colocar clareza nos pontos onde precisamos avançar”, nas palavras de Carlo. A proposta visa sair da conversa e mostrar resultados, trazendo maior qualidade e representatividades para os negros no mercado de trabalho.

*Aluna do 3º semestre do curso de Jornalismo.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.